Funcionário da Judeus por Jesus Levado à Prisão Sem Motivo

 

 

barry-prison

 

 

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA

Contato:  Susan Perlman, Jews for Jesus
00XX1 (415) 864-2600
Susan.Perlman@jewsforjesus.org
www.jewsforjesus.org

20 de Novembro de 2013, San Francisco, CA

 

Liberdade de Religião Sob Ataque

Funcionário da Judeus por Jesus foi levado para a prisão em Ramle por exercer a sua fé.

Barry Barnett, um participante da campanha “Eis o Vosso Deus Israel” no Negev, agora em andamento, foi levado para a prisão em Ramle (próximo de Tel Aviv). O Sr. Barnett, cidadão britânico, funcionário da organização, participava de uma equipe na região de Beer Sheve segurando um banner com uma mensagem evangelística e um número de telefone para ligar.

Um grupo de seis inspetores da imigração confiscou o banner e levou Barnett em custódia (os outros membros da equipe eram cidadãos israelenses). Sem acusá-lo, o detiveram por várias horas em um escritório da imigração na cidade de Omer, antes de transferí-lo para a prisão em Ramle.

Judeus por Jesus é uma instituição de caridade legalizada em Israel, e nunca teve nenhum de seus funcionários preso por expresser sua fé de que Jesus é o Messias. Dan Sered, diretor do escritório em Israel, comentou:

“Estou chocado com este comportamento ultrajante. Como israelense, tenho me orgulhado que nosso país permite a liberdade religiosa, embora aqueles que apreenderam o Barry e o  levaram à prisão tenham o feito uma coisa vergonhosa. Nossa campanha em Israel é 100% legal e Barry, apesar de ser um cidadão britânico, não é um trabalhador ilegal em Israel. Com seu visto turístico B2, a ele é permitido exercer sua fé, o que ele estava fazendo”.

Judeus por Jesus é uma organização internacional com filiais em 14 países e 26 cidades. Sua declaração de missão já diz tudo: “Nós existimos para fazer o Messias Jesus um assunto inevitável para nosso povo judeu em todo o mundo”.

“É logico…” diz seu Diretor Executivo, David Brickner, “…isto deve incluir Israel!”



PagSeguro

A partir de hoje você pode fazer suas doações pelo PagSeguro. É só clicar no botão que lhe enviará até à página para isso.




Em breve também estaremos inaugurando nossa tão esperada loja. Fique atento!



Jhan Moskowitz

Em memória de Jhan Moskowitz, um dos fundadores da organização Judeus por Jesus, promovido à presença de Deus no dia 5 de setembro de 2012.

SITE EM INGLÊS: http://blog.jforj.com/jhanmoskowitz



Informativos online

A partir de agora estaremos publicando nossos informativos também online. Clicando no link a seguir você pode ler nosso informativo de Setembro e Outubro de 2012: http://snack.to/fznsvayf



Stan Telchin – In Memoriam

Stan Telchin, renomado autor, orador público, e missionário ao povo judeu, morreu em 4 de junho. Ele tinha 87 anos.

Seu livro mais popular, Traído, conta a história de Judy, filha de Telchin, que veio a crer em Jesus como o Messias judeu, e como Telchin, que serviu no Conselho de muitas organizações judaicas, determinou-se a provar o erro dela. Mas sua pesquisa o levou à mesma conclusão que sua filha.

O livro, que vendeu mais de um milhão de cópias e foi traduzido para 30 idiomas, é o testemunho mais lido de um judeu que veio a crer em Jesus na história recente. Ele abriu muitas oportunidades de ministério para Telchin, incluindo apresentar um programa de rádio diario na WCTN em Potomac, Maryland por oito anos, e aparecer em cadeia nacional nas televisões dos Estados Unidos, Canadá e Ucrânia.

Os pais judeus de Telchin foram para os Estados Unidos da Rússia no início do século XX. Ele nasceu em 14 de setembro de 1924, na cidade de Nova Iorque, o caçula de seis filhos e cresceu durante a Grande Depressão, primeiro no Lower East Side de Nova Iorque, e depois nas vizinhanças de Boro Park, no Brooklyn.

Em dezembro de 1944, em casa de folga do exército, Telchin encontrou uma amiga do ensino médio, Ethel David. Ethel se ofereceu a escrever para ele enquanto ele estivesse no exterior, e regularmente enviou a ele cartas e pacotes. Quando a guerra acabou e Telchin foi dispensado, ele e Ethel começaram a namorar e se casaram em 26 de maio de 1948.

Os Telchin tiveram duas filhas, Judy e Ann, e Stan se tornou altamente bem sucedido no negócio de seguros. Como ele disse certa vez, “Em vinte e seis anos de casamento, tínhamos uma casa imensa, completa, com piscina, quatro BMWs e uma empregada em tempo integral. Então, apenas alguns meses depois, meu mundo de repente pareceu ter desmoronado”. Foi quando Judy, então uma estudante na Universidade de Boston, telefonou para seu pai para dizer que cria em Jesus.

Em 3 de julho de 1975, depois de meses estudando as Escrituras Hebraicas, assim como o Novo Testamento, Telchin também veio a crer que Jesus é o Messias judeu. Então, para sua surpresa, ele descobriu que Ethel havia independentemente tomado a mesma decisão. Stan largou o negócio de seguros em 1979 pelo ministério em tempo integral.

Depois de servir como pastor da Living Word Fellowship (Comunhão Palavra da Vida), em Gaithersburg, Maryland, de 1980 a 1984, ele fundou o Stan Telchin Ministries (Ministério Stan Telchin). Seu foco era explicar para as igrejas como o anti-semitismo tornou difícil para o povo judeu responder à mensagem do evangelho, e como os crentes podem, individualmente, demonstrando uma mudança de coração, efetivamente alcançá-los. Ele recebeu convites para pregar por todos os Estados Unidos e Canadá, assim como na Inglaterra, Noruega, Islândia, Rússia, Dinamarca, Alemanha, Ucrânia e Israel. Stan e Ethel foram casados por 52 anos, até sua morte em 2000. Telchin posteriormente se casou novamente com sua amada Elaine.

Telchin serviu com a organização Judeus por Jesus de 2003 até a sua morte. David Brickner, Diretor Executivo Internacional da Judeus por Jesus, refletiu: “Stan teve um enorme impacto no campo das missões judaicas. Ele fará imensa falta. Mesmo enquanto Stan esteve com a saúde debilitada nos últimos anos, seu livro, Traído, permaneceu um forte testemunho para os judeus em busca da verdade, e estou convencido que continuará a impactar as vidas de nosso povo judeu nos anos porvir.”

 



ARUTZ SHEVA PEDE DESCULPAS E CORRIGE SEU RELATO: JUDEUS POR JESUS NUNCA DISSE QUE A REJEIÇÃO DE JESUS CAUSOU O HOLOCAUSTO

Uma das principais notícias em 25 de abril do Arutz Sheva, um serviço de notícias diário eletrônico israelense, falsamente acusou Judeus por Jesus de afirmar o seguinte em seu website: “. . . que os judeus são os culpados pela perseguição que sofreram ao longo das gerações, e especialmente pelo Holocausto, por causa de sua rejeição a Jesus”.

“Não só a afirmação acima não está em nosso website, mas os sentimentos expressos são simplesmente falsos”, disse Dan Sered, diretor da filial israelense da Judeus por Jesus.

Em uma carta de seus advogados para o serviço de notícias, Judeus por Jesus salientou que estas eram alegações falsas, e em 11 de maio, Arutz Sheva republicou o artigo e alterou a sentença original da seguinte forma:

A organização [JPJ] afirma, no entanto, que rejeita veementemente os pontos de vista que foram a ela atribuidos na mídia israelense que os judeus são culpados pela perseguição que sofreram ao longo das gerações, e especialmente pelo Holocausto, por causa de sua rejeição a Jesus. Arutz Sheva, que previamente relatou estas alegações, pede desculpas por qualquer mal-entendido.

Arutz Sheva também removeu do artigo sua errônea afirmação de que é a primeira vez que um grande jornal israelense publica um anúncio da Judeus por Jesus.

David Brickner, director executivo internacional da Judeus por Jesus, disse: “Somos gratos pela retratação e pedido de desculpas, e que aqueles que acreditam na Torá concordam que a verdade deve sempre triunfar sobre qualquer outra consideração no relato das notícias”.

Aqui está o artigo revisado (em inglês):

http://www.israelnationalnews.com/News/News.aspx/155117#.T618cuvY98F